Ijuí - Escola Ruyzão - Geografia - Ver o mundo com um outro olhar ... Venha comigo!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

2009 chegando ao fim... Bem - vindo 2010!






Mais um ano chega ao final... estamos a 13 dias do final de 2009!




Entramos na reta final de mais um ano que finda.


Muitas aprendizagens...


Muitas lembranças...


Muitas histórias...


Muito a agradecer,


Muito a refletir,


Muitos novos amigos conquistados,


Muitas vitórias,


Algumas perdas,


Alguns percalços,

Uma certeza e um desejo:



Que o novo ano que se aproxima será ainda melhor:


com muita paz, amor, fraternidade, solidariedade, aprendizagens,...



Final de ano traz um sentimento de tristeza e de alegria.


De tristeza, porque mais um ano passou voando e, obviamente, muitas coisas ficaram por fazer. De alegria, porque um novo ano se apresenta, com suas perspectivas e possibilidades.



domingo, 29 de novembro de 2009

O que é o BRIC?


Bric = A sigla Bric dá nome a um grupo formado por países considerados, nos últimos anos, como potências econômicas emergentes: Brasil, Rússia, Índia e China. Entre 2008 e 2009, frente à crise econômica mundial, a importância do grupo ultrapassou a área econômica, e a presença desses quatro países tornou-se indispensável em todas as discussões políticas.

Este termo, ou esta sigla Bric foi concebido, em 2001, por uma equipe de pesquisadores do banco americano Goldman Sachs, que elaborou um estudo sobre estimativas de evolução dos mercados, da produção e da demografia na ordem econômica mundial. Segundo esse estudo, no decorrer das próximas décadas, Brasil, Rússia, Índia e China deverão ascender ao topo do ranking das maiores economias do planeta, desbancando potências como o Japão e Alemanha.

Dentre as consequências dessa evolução, devemos salientar a afluência de uma massa de novos consumidores. Segundo o Goldman Sachs, entre 2005 e 2015, os rendimentos de cerca de 800 milhões de pessoas (nos quatro países) poderão cruzar a marca de 3.000 dólares anuais, a linha divisória para o patamar de consumo de classe média. Considerando-se que há hoje no mundo cerca de 2 bilhões de pessoas nessa faixa de renda, o Bric pode fazer o mercado consumidor global crescer quase 50% em apenas dez anos.

Incluir quase 1 bilhão de novos consumidores no mercado certamente causará um impacto sem precedentes sobre a demanda de bens e serviços. Dessa forma, o consumo de aço dos quatro países, que em 2006 era de 143 milhões de toneladas, deve atingir 450 milhões até 2010. O de petróleo deve crescer de 15 milhões para 20 milhões de barris diários. Em 2006, 700 milhões de pessoas tinham acesso à telefonia móvel nos Bric - até 2011 serão quase 2 bilhões.

A força dos Bric provém, em grande parte, da enorme fatia da população mundial existente nos quatro países, onde vivem 2,7 bilhões de habitantes, o equivalente a 40% da humanidade.

Participação do bloco de países formado por Brasil, Rússia, Índia e China no total da demanda mundial(1)
Algodão 57% Trigo 36% Carne bovina 35% Aço 32% Geladeiras 21% Celulares 20% Petróleo 18% Alimentos 18% Computadores 17% Vestuário 14% Automóveis(2) 11%

Fontes: Euromonitor, International Iron and Steel Industry, IDC, Mittal Steel, Forrester Research, Teleco, Datamonitor, Goldman Sachs

Prós e contras

Alguns fatores que impulsionam a expansão econômica de cada um dos Bric e problemas que podem atrapalhar o crescimento desses quatro países emergentes

Brasil

Vantagens
*Potencial para ser o maior fornecedor mundial de produtos agrícolas;
*Grandes reservas minerais;
*Parque industrial diversificado.

Desvantagens
*Carga tributária pesada e informalidade disseminada em muitos setores;
*Infra-estrutura precária;
*Educação deficiente.

Rússia

Vantagens
*Reservas abundantes de petróleo e gás natural
*População com bom nível educacional
*Carga tributária baixa

Desvantagens
*População com média de idade elevada e baixo índice de natalidade
*Altos índices de corrupção e criminalidade

Índia

Vantagens
*Avanço em setores de tecnologia, como informática
*Grande população jovem e em crescimento acelerado
*Elite bem formada e atuante

Desvantagens
*Infra-estrutura precária, com áreas urbanas caóticas
*Sociedade organizada por sistema arcaico de castas e dividida por conflitos étnicos e religiosos

China

Vantagens
*Alta capacidade industrial
*Potencial para ter o maior mercado consumidor do mundo
*Investimento intensivo em infra-estrutura e educação

Desvantagens
*População com tendência de envelhecimento rápido
*Progresso realizado com grande devastação ambiental
*Sistema político ditatorial

Fonte:
http://portalexame.abril.com.br/revista/exame/edicoes/0873/negocios/m0084353.html
http://vestibular.uol.com.br/ultnot/resumos/potencias-emergentes.jhtm

domingo, 8 de novembro de 2009

Pruduções dos alunos.



APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DOS ALUNOS:










Outra atividade que um dos grupos deveria realizar era a criação de uma letra para uma música já existente sobre o tema: posse da terra, uso da terra, trabalhador rural, êxodo rural, produção de alimentos, vida no campo, proteção do solo e do meio ambiente;


TURMA 204 Terra: mãe rainha.

Ritmo: gauchesco

Fui nascido campo a fora
Lá para as bandas do rincão
Pra cuidar da minha terra
E tomar meu chimarão.

Lidando com a gadaria, querendo me alimentar
As vacas me dão o leite e a carne pra mim assar.

O sustento me vem da terra, dá o trigo, o soja e o feijão
Ela é a nossa mãe rainha, quegarante o ganha pão.

E tem gente que polui, mas que baita barbaridade.
Deviam prender o povo que faz esta crueldade.

TURMA 203 O MUNDO RURAL

Música: Mamonas assassinas

Carpir é bom,
Pena que dá dor nas costas.
Porque a enxada é baixinha
E é por isso que eu prefiro o trator.
Seu arado é letal, porque mata as ervas daninha
Num mundo rural, existe muita alegria.
Tia, vó e parentes, todo mundo tirando leite
Eles fazem melado etambém açúcar mascavo
O agricultor tem umas mania interessante
Imaginem só como é um caipira saltitante
E o agricultor, quanto mais o tempo passa
Mais demonstra que leva o mndo nas costas
O agricultor quando planta, por incrível que pareça
Ganha muito pouco e acaba com dor de cabeça
Lá vem a tempestade, que leva a produção
e o agricultor fica com as calças na mão
Totalmente cansados de serem explorados
Vão pra cidade procurar oportunidade
O clima quente é cruel, esquentando esse maosoléo

--------ooOOoo -------------

domingo, 25 de outubro de 2009

Maria do Carmo - Diretora


Estamos em plena campanha para a direção da Escola.
No dia 28 de outubro, 4ª feira, teremos as eleições.
Professores, funcionários, pais e alunos estão sendo chamados a irem até a escola e votar em uma das chapas concorrentes. Aliás, para votarem na CHAPA 1, pela qual concorro à direção.

“A direção é um princípio e atributo da gestão, mediante a qual é canalizado o trabalho conjunto de pessoas, orientando-as e integrando as no rumo dos objetivos. Basicamente, a direção põe em ação o processo de tomada de decisão na organização, e coordena os
trabalhos, de modo que sejam executados da melhor maneira possível.Dentro deste contexto, a participação é o meio de se assegurar a gestão democrática da escola, possibilitando o envolvimento de profissionais e usuários no processo de tomada de decisão e no funcionamento da organização escolar (LIBÂNEO,2004,p.102).”

Nossas metas são realistas, com pé no chão, e querem fazer do Ruyzão uma escola com mais qualidade, participação e onde todos se sintam bem

Não esqueçam:
Dia 28 de outubro votem na CHAPA 1 - MARIA DO CARMO

Nossa Comunidade no Orkut:
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=95400872

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Começa a primavera no hemisfério Sul



Exatamente às 18h18 desta terça-feira, dia 22 de setembro, um interessante evento astronômico volta a ocorrer pela segunda vez no ano. Trata-se do equinócio de setembro, um dos dois momentos anuais em que o Sol cruza o plano do equador celeste, a linha imaginária do equador projetada na abóbada do céu.
O momento tem significado especial, pois marca o início da primavera no hemisfério sul e início do outono no hemisfério norte.

Lembrando:

Equinócio é uma palavra que tem origem no Latim e significa "noite igual", já que nos dias em que ocorrem, as noites e os dias têm a mesma duração.
Além de setembro, o equinócio acontece também em 20 de março, quando inicia o outono no hemisfério Sul e a primavera no hemisfério Norte.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Revolução Farroupilha.



A REVOLUÇÃO FARROUPILHA, também chamada de Guerra dos Farrapos ou Decênio Heróico ( 1835 - 1845).
Eclodiu no Rio Grande do Sul e configurou-se como a mais longa revolta brasileira.
Conheça os detalhes da Revolução Farroupilha:







Causas:

O estado do Rio Grande do Sul foi palco das disputas entre portugueses e espanhóis desde o século XVII. Na idéia dos líderes locais, o fim dos conflitos deveria inspirar o governo central a incentivar o crescimento econômico do sul, como pagamento às gerações de famílias que se voltaram para a defesa do país desde há muito tempo. Mas não foi isso que ocorreu.
1821 - o governo central impôs a cobrança de pesadas taxas sobre os produtos rio-grandenses, como charque, erva-mate, couros, sebo, graxa, etc.
Década de 30 - o governo criou incentivos para a importação do charque produzido no Prata.
Também aumentou a taxa de importação do sal, insumo básico para a fabricação do nosso charque. Além do mais, se as tropas que lutavam nas guerras eram gaúchas, seus comandantes vinham do centro do país.
Tudo isso causou grande revolta na elite rio-grandense.


A revolta:

Em 20 de setembro de 1835, os rebeldes tomam Porto Alegre, obrigando o presidente da província, Fernandes Braga, a fugir para Rio Grande.
Bento Gonçalves, que planejou o ataque, empossou no cargo o vice, Marciano Ribeiro. O governo imperial nomeou José de Araújo Ribeiro para o lugar de Fernandes Braga, mas este nome não agradou os farroupilhas (o principal objetivo da revolta era a nomeação de um presidente que defendesse os interesses rio-grandenses), e estes decidiram prorrogar o mandato de Marciano Ribeiro até 9 de dezembro. Araújo Ribeiro, então, decidiu partir para Rio Grande e tomou posse no Conselho Municipal da cidade portuária. Bento Manoel, um dos líderes do 20 de setembro, decidiu apoiá-lo e rompeu com os farroupilhas.
Bento Gonçalves então decidiu conciliar. Convidou Araújo Ribeiro a tomar posse em Porto Alegre, mas este recusou. Com a ajuda de Bento Manoel, Araújo conseguiu a adesão de outros líderes militares, como Osório. Em 3 de março de 36, o governo ordena a transferência das repartições para Rio Grande: é o sinal da ruptura. Em represália, os farroupilhas prendem em Pelotas o conceituado major Manuel Marques de Souza, levando-o para Porto Alegre e confinando-o no navio-prisão Presiganga, ancorado no Guaíba.
Os imperiais passaram a planejar a retomada de Porto Alegre, o que ocorreu em 15 de julho. O tenente Henrique Mosye, preso no 8o. BC, em Porto Alegre, subornou a guarda e libertou 30 soldados. Este grupo tomou importantes pontos da cidade e libertou Marques de Souza e outros oficiais presos no Presiganga. Marciano Ribeiro foi preso e em seu lugar foi posto o marechal João de Deus Menna Barreto. Bento Gonçalves tentou reconquistar a cidade duas semanas depois, mas foi batido. Entre 1836 e 1840 Porto Alegre sofreu 1.283 dias de sítio, mas nunca mais os farrapos conseguiriam tomá-la.
Em 9 de setembro de 1836 os farrapos, comandados pelo General Netto, impuseram uma violenta derrota ao coronel João da Silva Tavares no Arroio Seival, próximo a Bagé. Empolgados pela grande vitória, os chefes farrapos no local decidiram, em virtude do impasse político em que o conflito havia chegado, pela proclamação da República Rio-Grandense. O movimento deixava de ter um caráter corretivo e passava ao nível separatista.

A República:

Bento Gonçalves, em cerco a Porto Alegre, recebe a notícia da proclamação da República e da indicação de seu nome como candidato a presidente. Decide contornar a capital da província para se juntar aos vitoriosos comandados de Netto. Quando vai atravessar o rio Jacuí na altura da ilha de Fanfa, tem seus mais de mil homens emboscados por Bento Manuel e pela esquadra do inglês John Grenfell. Bento Gonçalves, Onofre Pires, Pedro Boticário, Corte Real e Lívio Zambeccari, os principais chefes no local, são presos, e a tropa é desbaratada. O governo imperial, após esta vitória, oferece anistia aos rebeldes para acabar de vez com o conflito. Netto, contudo, concentrou tropas e decidiu continuar a luta.
Bento Gonçalves foi escolhido presidente da República, mas enquanto não retornasse, Gomes Jardim assumiu o governo, organizando a estrutura dos ministérios.
No dinal de 1836, sem seu líder e com o governo central fazendo propostas de anistia, a revolução estava perdendo a força. No início de 1837 o Regente Feijó nomeou o brigadeiro Antero de Brito para presidente da província. Este, acumulando o cargo de Comandante Militar, passou a perseguir os simpatizantes do movimento em Porto Alegre e tratar os farrapos com dureza. Estes atos devolveram o ânimo aos rebeldes, que então conseguiram muitas vitórias. A cavalaria imperial desertou em janeiro de 1837 em Rio Pardo, e Lages, em Santa Catarina, foi tomada logo após.
Em março, Antero de Brito mandou prender Bento Manoel, por achá-lo pouco rígido com a República. Mas Bento Manoel resolveu prendê-lo e passar novamente para o lado farroupilha. Um mês após, Netto, com mais de mil homens, tomou o arsenal imperial de Caçapava, capturando armas de todos os tipos e ganhando a adesão de muitos soldados da guarnição local. E em 30 de abril, Rio Pardo, então a mais populosa cidade da província, foi tomada.
Em outubro, Bento Gonçalves fugiu do Forte do Mar, em Salvador, vindo a assumir a presidência em 16 de dezembro. Era o auge da República. A diminuição dos combates, a estruturação dos serviços básicos - correios, política externa, fisco - davam a impressão de que o Estado Rio-Grandense estava em vias de consolidação.
Mas 1838 não foi o ano da vitória como esperavam os farrapos. Apesar de mais uma vitória em Rio Pardo, o fracasso na tentativa de tomar Rio Grande e a falta de condições de conquistar Porto Alegre abatem as esperanças dos republicanos. A maioria das vitórias farrapas neste ano foram em combates de guerrilha e escaramuças sem importância estratégica. Com Piratini ameaçada, a Capital é transferida para Caçapava em janeiro de 1839.

Garibaldi:

Guiseppe Garibaldi apresenta-se em Piratini em fins de 1837. Ao chegar à capital farroupilha, ele recebe uma missão: construir barcos e fazer pirataria contra navios do império. Dois meses depois, ele apresenta dois lanchões: o "Rio Pardo" e o "Independência". Com Rio Grande e São José do Norte ocupadas pelo inimigo, e Montevidéu pressionada pelo governo imperial, os farrapos planejam a tomada de Laguna, em Santa Catarina. A idéia era um ataque simultâneo por mar e por terra. Mas como sair da Lagoa dos Patos? Garibaldi escapou com os Lanchões "Farroupilha" e "Seival" pelo rio Capivari, a nordeste da Lagoa. Daí resultou o mais fantástico acontecimento da guerra, e talvez um dos lances de combate mais geniais da história.
Foram postas gigantescas rodas nos barcos, e eles foram transportados por terra, levados por juntas de bois, até Tramandaí, a aproximadamente 80km do ponto de partida. O transporte foi feito através de campos enlameados pelas chuvas de inverno.
Assim o ataque é feito de surpresa, com Davi Canabarro por terra e Garibaldi a bordo do "Seival" (o Farroupilha naufragou em Araranguá-SC) e resulta na conquista da cidade e na apreensão de 14 navios mercantes, que são somados ao "Seival", e armas, canhões e fardamentos. Em 29 de julho de 1839 é proclamada a República Juliana, instalada em um casarão da cidade. Mas o sonho durou apenas quatro meses. Com a vitória de Laguna, os farrapos resolveram tentar a conquista de Desterro, na ilha de Santa Catarina. Mas são surpreendidos em plena concentração e batem em retirada, com pesadas perdas materiais. Os navios de corso, contudo, vão mais longe.O "Seival", o "Caçapava" e o novo "Rio Pardo" vão até Santos, no litoral paulista. Encontrando forças superiores, voltam para Imbituba-SC.
Em 15 de novembro de 1839, um ataque pesado a Laguna, com marinha, infantaria e cavalaria resulta na destruição completa da esquadra farroupilha e na retomada da cidade. Todos os chefes da marinha rio-grandense são mortos, com exceção de Garibaldi. Davi Canabarro recua até Torres, enquanto outra parte das forças terrestres vai para Lages, onde resistem até o começo de 1840.


Declínio:
Em 1840 começou a decadência da revolução.
Enquanto a maioria das forças rio-grandenses se concentrava no sítio a Porto Alegre, a capital, Caçapava, era atacada de surpresa.
A partir daí, os arquivos da República foram colocados em carretas de bois pelas estradas. Foi o tempo da "República andarilha", até que Alegrete foi escolhida como nova capital. Em Taquari, farroupilhas e imperiais travaram a maior batalha da guerra, com mais de dez mil homens envolvidos. Mas não teve resultados decisivos. São Gabriel foi perdida em junho, e alguns dias depois o General Netto só escapa do imperial Chico Pedro graças à sua destreza como cavaleiro.
Em julho, novo fracasso farroupilha, desta vez em São José do Norte. Bento Gonçalves começa a pensar na pacificação.
Em novembro é a vez de Viamão cair, morrendo no combate o italiano Luigi Rossetti, o criador do jornal "O Povo" órgão de imprensa oficial da república. Para piorar a situação, em janeiro de 1841, Bento Manoel discordou de algumas promoções de oficiais e abandonou definitivamente os farrapos.


Caxias:

A partir de novembro 1842 o conflito é dominado por Luís Alves de Lima e Silva, o Barão (depois Duque) de Caxias. Nomeado presidente da província, usou do mesmo estilo dos farrapos para ganhar o apoio da população. Nomeou como comandantes militares Bento Manoel e Chico Pedro, dois oficiais do mesmo estilo, priorizou a cavalaria, e espalhou intrigas entre os farrapos sempre que pôde. Tratou bem a população dos povoados ocupados e empurrou os farroupilhas para o Uruguai. Estes ainda fizeram outra grande tentativa, atacando São Gabriel em 10 de abril de 1843 e, em 26 do mesmo mês, destroçaram Bento Manoel em Ponche Verde. Mas esta foi a última vitória dos farrapos.

Em dezembro de 42 reuniu-se em Alegrete a Assembléia Constituinte, sob forte discussão política. era forte a oposição a Bento Gonçalves. Durante 1843 e 1844, sucederam-se brigas entre os farrapos. Numa destas o líder oposicionista Antônio Paulo da Fontoura foi assassinado. Onofre Pires acusou Bento Gonçalves de ser o mandante. Este respondeu com o desafio a um duelo. Neste duelo (28 de fevereiro de 1844) Onofre é ferido, e veio a falecer dias depois.

Paz:
Em 1844, Bento Gonçalves iniciou conversações de paz, mas retirou-se por discordar
de Caxias em pontos fundamentais, assumindo o seu lugar Davi Canabarro.
Os farrapos queriam assinar um Tratado de Paz, mas os imperiais rejeitavam, porque tratados se assinam entre países, e o Império não considerava a República um Estado. Caxias contornou a situação, agradando os interesses dos farroupilhas sem criar constrangimentos para o Império.

Mas os farrapos já não tinham outra saída senão aceitas as condições de Caxias.
A pacificação foi assinada em 1º de março de 1845 em Ponche Verde, e tinha como principais pontos:

O Império assumia as dívidas do governo da República;

Os farroupilhas escolheriam o novo presidente da província - Caxias;

Os oficiais rio-grandenses seriam incorporados ao exército imperial nos mesmos postos, exceto os generais;

Todos os processos da justiça republicana continuavam válidos;

Todos os ex-escravos que lutaram no exército rio-grandense seriam declarados livres (mas muitos deles foram reescravizados depois);

Todos os prisioneiros de guerra seriam devolvidos à província.

Além do mais, o charque importado foi sobretaxado em 25%.

Terminou assim a Guerra dos Farrapos, que apesar da vitória militar do Império do Brasil contra a República Rio-Grandense, significou a consolidação do Rio Grande como força política dentro do país.


FONTE:

http://www.sohistoria.com.br/ef2/revolucaofarroupilha/

http://tradicao.pampasonline.com.br/tradicao_revolucaofarroupilha.htm

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

PROVA EM BLOCO 2º TRIMESTRE.


Pessoal:
Na próxima 3ª feira, dia 15 de setembro, será a prova em bloco 2, com as disciplinas de Geografia, Literatura e Matemática.

Esta é a relação de conteúdos da nossa disciplina:
1) Teoria das placas tectônicas e deriva dos continete;
2) As nove mudanças da Velha Ordem Mundial ( ver caderno;
3) A 1ª, 2ª e 3ª Revolução Industrial;
4) Capitalismo ( Comercial, Industrial e Financeiro);
5) Socialismo
6) Guerra Fria e o Mundo Bipolar;
7) A Globalização;
8) O desenvolvimento e o subdesenvolvimento;
9) Economia Mundo

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

PRÉ - SAL ( 2 )


BRASIL ABRE NOVO CICLO PARA O NOSSO PETRÓLEO.

A camada denominada de PRÉ-SAL é uma faixa que se estende ao longo de 800 quilômetros entre os Estados do Espírito Santo e Santa Catarina, abaixo do leito do mar, e engloba três bacias sedimentares (Espírito Santo, Campos e Santos).

O petróleo encontrado nesta área está a profundidades que superam os 7 mil metros, abaixo de uma extensa camada de sal que, segundo geólogos, conservam a qualidade do petróleo (veja figura acima).

Vários campos e poços de petróleo já foram descobertos no pré-sal, entre eles o de Tupi, o principal. Há também os nomeados Guará, Bem-Te-Vi, Carioca, Júpiter e Iara, entre outros.

Segundo a folha on-line, Tupi tem uma reserva estimada pela Petrobras entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris de petróleo, sendo considerado uma das maiores descobertas do mundo dos últimos sete anos.

Para termos de comparação, as reservas provadas de petróleo e gás natural da Petrobras no Brasil ficaram em 13,920 bilhões (barris de óleo equivalente) em 2007, segundo o critério adotado pela ANP (Agência Nacional do Petróleo). Ou seja, se a nova estimativa estiver correta, Tupi tem potencial para até dobrar o volume de óleo e gás que poderá ser extraído do subsolo brasileiro.

Estimativas apontam que a camada, no total, pode abrigar algo próximo de 100 bilhões de boe (barris de óleo equivalente) em reservas, o que colocaria o Brasil entre os dez maiores produtores do mundo.

PRÉ - SAL.( 1 )


Clique na imagem para ampliá-la e observar melhor como é esta área com reservas petrolíferas.

Nestes últimos meses e dias, temos lido e ouvido falar muito sobre sobre PRÉ-SAL.

VOCÊ SABE O QUE É O PRÉ-SAL?

Segundo a Wiquipédia, PRÉ-SAL é a denominação dada para as reservas petrolíferas encontradas abaixo de uma profunda camada de sal no subsolo marítimo, também chamada de subsal.

Veja nesta animação, detalhes do que é o pré-sal e sua exploração.

As rochas reservatório normalmente são encontradas em regiões muito profundas, de difícil localização e de acesso mais complexo. As maiores reservas petrolíferas "pre-sal" ou "subsal" conhecidas atualmente no mundo estão em áreas marítimas profundas e ultra-profundas.

Outro dado importante:
Você sabia que aprimeira reserva petrolífera em área pré-sal no mundo ocorreu no litoral brasileiro, onde eramconhecidas como "petróleo do pré-sal" ou "pré-sal". E outro dado importante para nós brasileiros: estas também são as maiores reservas conhecidas em zonas da faixa pré-sal.



Pois é! Sempre ouvíamos as expressões como: "Brasil é um país rico", "temos no Brasil todas as riquezas necessárias", " países estão de olho na Amazônia" e "nas nossas riquezas". E agora descobriram mais esta riqueza. Esperamos que todo o povo brasileiro, todos os estados brasileiros sejam beneficiados com os recursos advindos da exploração petrolífera no pré-sal e não somente os estados onde já foram encontrados poços de petróleo.

domingo, 30 de agosto de 2009

Terminando o 2º Trimestre !


Queridos alunos!

O 2º trimestre está chegando ao final.


LEMBRETES:


As datas para entrega dos trabalhos devem ser observadas( cada turma teve a data alterada em função do recesso de inverno e sua prorrogação).

Já estou recebendo alguns vídeos feitos com o Movie Maker. Como sempre, vocês capricharam!!! Vou postar alguns aqui e todos na nossa pbworks.


A prova de Geografia faz parte do Bloco 2, juntamente com Literatura e Matemática.


Para dar uma revisada nos conteúdos sobre:

* Capitalismo * Socialismo * Revolução Industrial * Guerra Fria


visite o Blog: nave_gando na geografia



domingo, 16 de agosto de 2009

Municípios do RS encolheram desde 2000.



Segundo estimativas que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta semana, dia 14 de agosto mais precisamente, cerca de cento e noventa e dois municípios gaúchos, quase 40% do total do Estado, encolheram desde 2000.

Engenho Velho foi o município que perdeu mais moradores proporcionalmente: viu um terço da população evaporar em nove anos, passando de 2,1 mil para 1,4 mil habitantes.

O que estará provocando este fenômeno? Vamos discutir isso na sala de aula, ok? Um ótimo assunto para o retorno das aulas!!!


Por enquanto vamos lendo e sabendo mais aqui ou nos jornais e demais sites.


População brasileira chega a 191,5 milhões, diz IBGE.

Este dado também foi fornecido pelo IBGE nesta sexta feira dia 14 de agosto.

A cidade de São Paulo continua sendo a mais populosa do Brasil com mais de 11 milhões de habitantes..

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

INÍCIO DO 2º SEMESTRE LETIVO DE 2009.


Será segunda-feira, dia 17 de agosto, o retorno às aulas, após o recesso escolar de inverno, que este ano foi mais prolongado devido a gripe A H1N1.

O prolongamento das férias de inverno foi uma medida tomada para evitar maior contaminação e propagação da doença.

Assim, mais descansados, vamos reiniciar o ano letivo, nossas atividades, trabalhos e rotina escolares.


Vamos lá!

Preparem seus materiais escolares, tragam para a escola toda a alegria, entusiasmo, garra e aquela vontade de "saber mais".

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Férias de inverno mais longas.






Nosso período de férias escolares , ou recesso escolar de inverno, seria de 25/07 à 02/08, portanto, iniciaríamos hoje - 03/08/2009 - as aulas do 2º semestre letivo de 2009.
Por determinação da governadora do estado, Yeda Crusius, ou da Secretaria Estadual da Saúde, a volta às aulas da rede pública estadual será no dia 17 de agosto. Com este decreto, adia se a volta às aulas como uma medida de prevenção à gripe A (H1N1).

segunda-feira, 20 de julho de 2009

DIA DO AMIGO!

Para vocês AMIGOS DO CORAÇÃO!

Existem pessoas em nossas vidas que nos deixam felizes pelo simples fato de terem cruzado o nosso caminho.

Algumas percorrem ao nosso lado, vendo muitas luas passarem, mas outras vemos apenas entre um passo e outro.

A todas elas chamamos de amigo.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

O que é o novo acordo sobre o clima?



O Protocolo de Kyoto foi firmado em 15 de março de 1997 na cidade de Kioto, no Japão. Lá ocorreu a 3ª Conferência das Nações Unidas para as mudanças Climáticas - COP-3 - quando firmou-se um acordo internacional para estabelecer metas de redução de emissão dos gases poluentes causadores do efeito estufa, que estaria ligado ao aquecimento global.

O tratado, foi ratificado por 174 nações e entrou em vigor em 2005.
Pelo Tratado de Kioto, os países industrializados se comprometeram a reduzir em pelo menos 5,2% as emissões desses gases entre 2008 e 2012, em relação ao que era emitido em 1990.

Como estamos em 2009, e este acordo irá expirar em 2012, um novo acordo está sendo discutido para substituí-lo. Já ocorreu uma reunião das Nações Unidas sobre mudanças climáticas, em Poznan, na Polônia, em 13/12/08, onde foram feitas críticas de países em desenvolvimento e ambientalistas.
Desta vez a Conferência - COP-15 - será na cidade dinamarqueza de Copenhague, em dezembro deste ano quando as nações irão redefinir as metas de Kyoto e preparar um novo protocolo. As discussões sobre o assunto já estão ocorrendo.

"O objetivo básico é uma redução mais drástica na emissão de gases do efeito estufa a médio prazo, já para os anos de 2020 a 2050, para não deixar o aumento da temperatura média global ultrapassar 2ºC", esclarece Tercio Ambrizzi, professor do Departamento de Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (IAG-USP).

Estudos indicam que a média da temperatura do planeta tem aumentado de 0,5ºC a 0,6ºC ao ano. "Se nada for feito e mantermos o ritmo de crescimento de hoje, os modelos matemáticos indicam que as temperaturas podem subir de 4 a 6ºC até 2100", alerta o professor, que participou da revisão do relatório do Painel Intergovernamental para a Mudança Climática (IPCC) da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo esse documento, 90% do agravamento do efeito estufa seria de responsabilidade da ação do homem.

Durante o último encontro dos membros do G-8 com os do G-5, no início de julho, na Itália, foi discutido alguns números para diminuir as emissões de gás carbônico no mundo, e os países industrializados, responsáveis por 80% delas, concordaram com uma redução de 50%.

As nações em desenvolvimento, porém, negaram-se a estipular metas. Atualmente, elas não são obrigadas a reduzir suas emissões de gases poluentes, apenas foi sugerida a colaboração delas. Porém no novo acordo deverá estar incluídas nas metas. "Provavelmente, esses países também deverão ter alguma forma de comprometimento oficial. Uma proposta recente sugere que a redução seja proporcional à industrialização de cada país. Dentro disso, o Brasil teria uma meta de 4 a 5%. Para algumas nações, isso significaria reduções de 50%, 60% e de até 80% do que emitem hoje, como seria no caso dos Estados Unidos", diz Tercio Ambrizzi. Para ele, o grande desafio é fazer com que haja comprometimento do ponto de vista do corte de emissões sem prejudicar o desenvolvimento econômico. "Vai ser preciso conseguir uma fórmula para ajustar esses dois fatores".

O professor destaca, para isso, a necessidade do desenvolvimento e emprego de novas tecnologias de energia limpa, como a eólica e a nuclear.

"Deve-se ressaltar que quase a totalidade dos povos da África queima lenha para cozinhar. Na Índia é bem pior, pois queimam esterco para sobreviver", afirma o professor Ricardo Augusto Felicio, do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). "O que não fica claro para a população em geral é que esses acordos não enfatizam o benefício de se usar tecnologias baratas para os mais necessitados, ou seja, grande parte do mundo", completa.

Muito do que se firmou neste Tratado de Kioto não aconteceu. As nações não levaram a sério o acordo e os índices de poluição e consequentemente de aquecimento global aumentaram trazendo sérias consequencias no mundo todo.

Que este novo acordo ou Tratado seja colocado em prática por todas as nações do mundo, desenvolvidas ou subdesenvolvidas.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Atualidades - o G8 .

Estamos estudando a industrialização nos países desenvolvidos e subdesenvolvidos. Como parte deste estudo, também estudamos sobre o G8 ( formado por Estados Unidos, Itália, Japão, França, Canadá, Alemanha, Reino Unido e Rússia), como foi seu surgimento e como é hoje.

De 08 até 10 de julho na Itália ( na cidade de L'Aquila), ocorre mais um encontro anual do grupo de países mais desenvolvidos e com a presença de países chamados emergentes" ( Índia, China, África do Sul, México, Brasil e Egito), para discutir formas de amenizar os efeitos da crise global, o comércio internacional, incluindo a Rodada de Doha, agricultura e mudanças climáticas.

Líderes do G8 mais Brasil, Índia, China, México, África do Sul e Egito concordaram em evitar desvalorizações de moedas competitivas e pretendem promover um sistema financeiro internacional estável, segundo um esboço do comunicado.

O G8, que reúne os sete países mais industrializados do mundo mais a Rússia, e o chamado G5 mais o Egito também prometeram concluir com sucesso a Rodada de Doha em 2010.
Os países vão ainda instruir seus ministros do Comércio para se reunir antes do próximo encontro do G20 em Pittsburgh em setembro, segundo um esboço do comunicado obtido pela Reuters.

No site Terra e nos demais jornais você pode acompanhar mais notícias sobre este assunto e manter-se bem informada.

http://br.invertia.com/noticias/noticia.aspx?idNoticia=200907081028_RED_78208675
http://br.invertia.com/noticias/noticia.aspx?idNoticia=200907091158_RTR_1247140684nN0998774

segunda-feira, 22 de junho de 2009

A história das coisas.



O que é História das Coisas ?
Da extração e produção até a venda, consumo e descarte, todos os produtos em nossa vida afetam comunidades em diversos países, a maior parte delas longe de nossos olhos.
História das Coisas é um documentário de 20 minutos, direto, passo a passo, baseado nos subterrâneos de nossos padrões de consumo.

História das Coisas revela as conexões entre diversos problemas ambientais e sociais, e é um alerta pela urgência em criarmos um mundo mais sustentável e justo.

História das Coisas nos ensina muita coisa, nos faz rir, e pode mudar para sempre a forma como vemos os produtos que consumimos em nossas vidas.


A História das Coisas expõe assim as conexões entre um enorme número de importantes questões ambientais e sociais, demonstrando com fatos, que ao consumirmos de forma inconsciente e desmedida, estamos destruindo o mundo e nos auto-destruindo

Precisamosa criar uma maior consciência do problema para termos um mundo mais sustentável e justo para todos, para o planeta Terra e para futuras gerações.

Vamos conferir o vídeo do Youtube - A história das coisas - The story of stuff -





Além disso existe o programa "Ecopratico" da TV Cultura que merece seracompanhado:
1º Episódio: http://educchines.blogspot.com/2009/04/ecopratico-1-episodio.html
2º Episódio: http://educchines.blogspot.com/2009/04/ecopratico-2-episodio.html
3º Episódio:http://educchines.blogspot.com/2009/04/ecopratico-3-episodio.html

terça-feira, 2 de junho de 2009

Projeto: FRONTEIRAS NATURAIS: A QUESTÃO AMBIENTAL



Projeto: FRONTEIRAS NATURAIS: A QUESTÃO AMBIENTAL


Escola: Escola Estadual de Ensino Médio Ruy Barbosa
Série: 2º ano do E.M.
Disciplinas envolvidas: Geografia



Professora coordenadora: Maria do Carmo Bigolin


JUSTIFICATIVA: Este pequeno projeto “A QUESTÃO AMBIENTAL” visa envolver os alunos das 2ª séries de nossa escola na conscientização e luta pela preservação da vida no planeta Terra. Acreditamos que quanto mais pessoas engajarem-se em defesa do meio ambiente, maior será a possibilidade de mudança do atual quadro de degradação. Também somos sabedores da importância de conhecer e buscar mais informações, conceitos e princípios sobre o meio ambiente e um convívio sustentável no mesmo. Queremos sensibilizar os jovens alunos a cumprirem seu papel de cidadania na sociedade e identificarem-se como autores na busca por um equilíbrio ecológico compatível com a presença da espécie humana na Terra. A mudança de pensamento e, principalmente, de atitudes, dependem do conhecimento adquirido, das habilidades e vontade de colocar estes conhecimentos em prática.

Temas:
1) Dinâmica Externa da Terra
2) A erosão e a contaminação dos solos
3) Impactos ambientais em biomas brasileiros
4) A atmosfera e a poluição do ar atmosférico
5) Água: escassez e poluição
6) Desenvolvimento Sustentável


Mídias disponíveis: Computadores: sites de pesquisa da Internet, Word, Movie Maker, Power Point, Slideshare, videos do Youtube.
Máquina Digital, celulares, pen drive, cd
Mídias impressas e on line - jornais e revistas.
OBS: Também será usada a Biblioteca da escola: livros, revistas e jornais.

Objetivos:

1) Conhecer as características do espaço natural, sua formação e intervenções humanas que resultaram em graves impactos ambientais ao longo dos séculos.

2) Apresentar os principais problemas ambientais que estão ocorrendo no mundo atualmente, dando enfoque para os problemas brasileiros.

3) Integrar o conteúdo programático da escola à realidade procurando melhorar a compreensão e a qualidade do conhecimento adquirido pelo educando.

4) Estimular a adoção de atitudes cotidianas adequadas “ ecologicamente corretas” para evitar a exploração excessiva e o desperdício dos recursos naturais;

5) Incentivar os alunos para que sejam propagadores dos conhecimentos adquiridos neste trabalho na escola, em sua residência, bairro, etc.

Metodologia (como fazer):
· Assistir a documentários e/ou vídeos;
· Dividir a turma em grupos;
· Cada grupo receberá um dos conteúdos a ser pesquisado;
· Pesquisar dados e conteúdos relativos ao assunto do grupo;
· Após a pesquisa realizada, passar para a execução e montagem do vídeo no Movie Maker.
· Apresentação dos trabalhos na sala de multimídia.

Resultados esperados:
Como a proposta é um trabalho de criação para cada grupo, espera-se que todos sejam curiosos, envolvam-se na pesquisa, dividam responsabilidades e construam conhecimentos na disciplina de Geografia bem como em relação ao seu envolvimento e responsabilidade como habitante da Terra.

Tempo previsto para conclusão:
10 aulas (com os 2 períodos semanais)

Critérios de avaliação:
Motivação, criatividade, envolvimento na realização das etapas de trabalho (pesquisa, coleta de notícias da escola e cidade, trabalho em grupo...), conteúdo relacionado ao tema e coerente, a escrita e a qualidade dos textos e das produções, apresentação ao grande grupo.

Forma de socialização das produções:
· A socialização de cada trabalho deverá ocorrer nas turmas envolvidas na sala de multimídia;

domingo, 24 de maio de 2009

HIPERTEXTO construído por alunos.


Este é um dos hipertextos que os alunos construíram, à partir dos estudos sobre a ESTRUTURA INTERNA DA TERRA, trabalhando com HIPERTEXTO:


TRABALHO DE GEOGRAFIA

A FORMAÇÃO DO ESPAÇO NATURAL

· Origem do Universo;
· Origem da Terra;
· Origem dos Continentes;
· Estrutura da Terra: Camadas;
· Classificação das Rochas (quanto à origem);
· Ciclo das Rochas;
· Estrutura Geológica;

* Escola: E.E. De Ensino Médio Ruy Barbosa.
* Turma: 203
* Componentes do grupo:
­­ _­ Andressa Ferrari Basso
_ Diogo Mariotti
_ Ezequiela Basso Bernardi
_ Jaqueline Tomm Khran


A Formação do Espaço Natural


O espaço geográfico é o espaço construído e transformado pelo Homem.Mas basicamente é onde vivemos e o espaço das sociedades ou a dimensão espacial do social.
A teoria mais aceita sobre a origem do universo é a do Big-Bang , segundo a qual, antes de tudo o que está aí, constelações de estrelas, planetas, cometas, satélites, etc havia um ponto concentrando toda a matéria existente, e por isso mesmo com uma densidade altíssima. Em um momento qualquer houve uma grande explosão, fazendo com que a matéria existente neste ponto se espalhasse e se misturasse, formando todas as coisas existentes e com movimento de expansão em todo o universo, que emergiu de um estado extremamente denso e quente há cerca de 13,7 bilhões de anos.
A origem da terra data de 4,6 bilhões de anos atrás. Diz-se que após ser lançada do núcleo cósmico, começa o processo de formação. A Terra era formada por materiais líquidos ou pastosos, e devido à ação da gravidade os objetos muito densos foram sendo empurrados para o interior do planeta (o processo é conhecido como diferenciação planetária, enquanto que materiais menos densos foram trazidos para a superfície.
A origem dos continentes se deu com a fragmentação das terras imersas, de um bloco único - a PANGÉIA. Há duas teorias sobre esse fato: A teoria da deriva dos continentes - segundo Wegener teria existido uma única grande massa continental, a Pangéia. A principal evidência dessa teoria era a possibilidade de encaixe perfeito entre a costa ocidental da África e a costa oriental da América do Sul. A Pangéia teria se dividido em dois continentes: Laurásia (America do Norte e Eurásia) ao norte e Gondwana (América do Sul, África, Antártida, Austrália e Índia), assim as divisões foram se sucedendo até o que é atualmente; Teoria das placas tectônicas: surgiu após a deriva dos continentes. Afirma que os continentes se separaram devido ao movimento das placas tectônicas que estão em cima da astenosfera (substrato pastoso).
A estrutura Interna da Terra ( ou as suas camadas), está assim constituída: a crosta ( com materiais mais leves, as rochas e os minerais – é a Litosfera); o manto ( que é a camada intermediária) e o núcleo ( com os materiais mais densos) ou NIFE.
O núcleo consiste de uma porção sólida envolvida por uma pequena camada líquida. No núcleo se encontra uma massa pastosa (magma) que sai por fissuras na superfície como erupções vulcânicas e fendas oceânicas. É formado por ferro, níquel, urânio e silício.
O manto é altamente viscoso e composto por substâncias ricas em ferro e magnésio. O manto superior pode deslocar-se vagarosamente. As temperaturas do manto variam de 100 graus CELCIUS (na parte que faz interface com a crosta) até 3500 graus Celsius (na parte que faz interface com o núcleo).
A crosta (que forma a maior parte da litosfera, tem uma extensão variável de acordo com a posição geográfica) é a camada externa da terra. Em alguns lugares chega a atingir 70 km, mas geralmente estende-se por aproximadamente 30 km de profundidade. É composta basicamente por silicatos de alumínio, sendo por isso também chamada de Sial.
A fronteira entre manto e crosta envolve dois eventos físicos distintos. O primeiro é a descontinuidade de Mohorovicic (ou Moho) que ocorre em virtude da diferença de composição entre camadas rochosas (a superior contendo feldspato triclínico e a inferior, sem o mesmo). O segundo evento é uma descontinuidade de Gutemberg ou química que foi observada a partir da obdução de partes da crosta oceânica.
As rochas são agregados ou massas de um ou mais minerais e mineralóides, que constituem unidades definidas na crosta terrestre. Pela origem devem ser classificadas em: magmáticas ou ígneas, sedimentares e metamórficas.
As rochas magmáticas ou ígneas são aquelas resultantes da solidificação (resfriamento) do magma, o material em estado de fusão de que é constituído o manto. Como os minerais, ao passar do estado de fusão para o sólido, tendem a formar cristais, estes são freqüentes nas rochas magmáticas, que por isso são chamadas de cristalinas. A solidificação do magma pode ocorrer no interior ou na superfície da terra, daí também serão chamadas de: Rochas ígneas vulcânicas, extrusivas ou efusivas, que são formadas a partir do resfriamento do material expelido pelas erupções vulcânicas atuais ou antigas. A consolidação do magma, então, acontece na superfície da crosta ou próximo a ela. O resfriamento é rápido, o que faz a que estas rochas, por vezes, apresentem material vítreo, logo, possuem uma textura vidrosa (vítrea), ou seja, uma textura que não apresenta cristais (a olho nu) ou até mesmo uma textura hemicristalina, isto é, apresenta alguns cristais no seio de uma massa amorfa. O granito, o o diorito e o bassalto são exemplos desses tipos de rochas
As rochas sedimentares são aquelas formadas a partir da erosão, do transporte e da deposição de minerais- atividades realizadas pela água, pelo vento, por reações físicas e quimicas e pela ação dos seres vivos. Elas derivam de rochas que sofreram a ação de processos erosivos. São exemplos de rochas sedimentares: o Cálcario, a areia e o arenito.
As rochas metamórficas são àquelas que são formadas por transformações físicas e químicas sofridas por outras rochas, quando submetidas ao calor e à pressão do interior da Terra, num processo denominado metamorfismo. São o produto da transformação de qualquer tipo de rocha levada a um ambiente onde as condições físicas (pressão, temperatura) são muito distintas daquelas onde a rocha se formou. Nestes ambientes, os minerais podem se tornar instáveis e reagir formando outros minerais, estáveis nas condições vigentes. Não apenas as rochas sedimentares ou ígneas podem sofrer metamorfismo, as próprias rochas metamórficas também podem, gerando uma nova rocha metamorfizada com diferente composição química e/ou física da rocha inicial. São exemplos desse tipo de rochas o gnaisse e o mármore, dentre outros...
Os três grupos de rochas - magmáticas, sedimentares e metamórficas, transformam-se continuamente na natureza num conjunto de processos geológicos denominado o Ciclo das Rochas. Que é a erosão, o metamorfismo, o transporte e a cristalização do magma.
Assim, vimos que, Estrutura geológica é um conjunto de diferentes rochas de um lugar e os vários processos por elas sofridos, o que dá aos terrenos desse lugar uma característica própria. As rochas e os minerais não estão distribuídos de maneira uniforme na superfície terrestre. Sua disposição vai depender da ação das forças internas que agiram na Terra no decorrer do tempo geológico.
Está divida em três tipos: núcleos cratônicos ou escudos cristalinos ( rochas magmáticas e metamórficas do Pré-Cambriano e Paleozóico, desgastadas e com baixas altitudes); bacias sedimentares sofreram erosão e acumulação em depressões; das eras Paleozóica, Mesozóica e cenozóica) e as faixas orogênicas ( que são os dobramentos antigos, por exemplo as Serras do Mar e da Mantiqueira e os dobramentos modernos como por exemplo a Cordilheira do Himalaia, os Alpes, os Andes e as Rochosas).


terça-feira, 19 de maio de 2009

Elaborando um Hipertexto:



No post anterior vimos o que é HIPERTEXTO, suas características e exemplos.
Agora chegou a vez de elaborarmos um Hipertexto com um assunto do conteúdo da Geografia.
Inicialmente veja quais são os conteúdos (lembre-se que já tivemos uma introdução em sala de aula) que farão parte do HIPERTEXTO dos grupos:
- A origem do Universo;
- A origem da Terra;
- A origem dos continentes ( Teoria da Deriva dos Continentes e Teoria das Placas Tectônicas;
Sobre "A estrutura da Terra":
- Camadas e Estrutura Interna da Terra;
- Classificação das rochas quanto à sua origem;
- Ciclo das rochas;
- Estrutura Geológica.

Para fazer seu Hipertexto:
1) Abrir um documento no Linux ( Br writer);
2) Colocar o Título: " Hipertexto de Geografia - A Estrutura da Terra."
3) Montar o texto, ou o HIPERTEXTO:
- orientando-se pelo livro texto e caderno da disciplina de Geografia,
- acessando o site de busca do Google para encontrar páginas que tragam mais conhecimentos e conteúdos para a elaboração do texto e formação dos links,
- na Internet pesquise também imagens e animações que servirão de ilustrações e links.
4) Como fazer o hiperlink ou link:
- selecione a palavra,
- clique no ícone inserir hiperlink, que está na Barra de Ferramentas e cole o endereço da Internet onde está o assunto que você quer linkar e dê ok.
A palavra ou expressão que é link passa automaticamente a ser azul e sublinhada.
Repita a operação em todas as palavras que serão links.

HIPERTEXTO:




O HIPERTEXTO:

Theodor H. Nelson, propôs este termo pela primeira vez em 1965, numa comunicação apresentada nos Estados Unidos.

Ele é uma espécie de texto multi-dimensional em que numa página trechos de texto se intercalam com referências a outras
páginas. Clicando com o “mouse’’ numa referência desta página corrente ela é substituída pela página referenciada.

Hipertexto são conjuntos de elementos, os hiperlinks ou simplesmente liks (palavras, imagens, vídeos, animações, áudio, documentos, etc.) - que muitos chamam de nós – ligados por conexões. Estes elementos conectados formam uma grande rede de informação. Eles não estão conectados linearmente, como se fosse um texto de um livro, por exemplo, que um assunto é ligado ao outro
seguidamente. A conexão feita em um hipertexto é algo imprevisto.
O hipertexto permite a comunicação de dados, organizando conhecimentos e guardando informações relacionadas.

O Hipertexto é algo diferente dos meios de escrita convencionais. Ela mudou a forma da leitura e escrita tradicional.

Há muitos exemplos de Hipertexto na Internet.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Importante:




Por que está chovendo tanto no norte e nordeste e tão pouco no sul do Brasil?


Enchentes no Maranhão, seca no Rio Grande do Sul. Será que o clima, o tempo está ficando louco?

Segundo Lincoln Muniz Alves, climatologista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o que está acontecendo no primeiro semestre de 2009 não é nenhuma anomalia.

- "Há uma variabilidade natural do clima, tem ano que chove mais, tem ano que é mais seco. Já observamos volume de chuvas semelhante no norte e nordeste em 1995, 2000 e 2008", diz o especialista.

O climatologista afirma que os meses entre janeiro e maio são mesmo de chuva no norte e no nordeste do país. Porém, dois fenômenos climáticos aumentaram o volume de precipitação neste ano. O primeiro é o La Niña, caracterizado por um esfriamento da superfície do mar no Oceano Pacífico equatorial e que favorece as chuvas no norte e a seca no sul. Ou seja, além de ser um dos fatores responsáveis pelas enchentes no nordeste, esse fenômeno também causou a estiagem no Rio Grande do Sul.

Para piorar a situação, ainda estamos sofrendo o impacto do aquecimento das águas do Atlântico Sul e o resfriamento do Atlântico Norte. Essa diferença de temperatura faz com que o principal sistema que causa chuvas na região se desloque mais para o sul e acabe sobre o norte e nordeste do Brasil.

O climatologista diz ainda, que não há uma explicação para essas mudanças na temperatura das águas, "a própria dinâmica do clima e dos oceanos faz com que um ano seja mais frio ou mais quente".

Porém, apesar dessas variações serem naturais, Lincoln conta que um dado preocupa os pesquisadores: os extremos climáticos estão se tornando mais frequentes no sul do país. "Isso pode ser um indício de que o aquecimento global está atuando em algumas regiões", alerta o climatologista.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Queres localizar tua casa?



Vamos usar o maps google e localizar nossa casa ou outro ponto que queremos encontrar?

Vamos lá:

Para você fazer o mapa de localização da sua escola, casa, casa dos avós, tios,
namorado (a), etc, é só acessar http://maps.google.com/ e digitar na
caixa de busca o endereço desejado ( bem correto), o nome da cidade,
do estado e do país.

Viu como é fácil? Aí está o lugar que você estava procurando.

sábado, 9 de maio de 2009

Navegando no Google Earth






Continuando nosso estudo sobre a Cartografia, ( já concluindo), gostaria de dar uma dica:

Você conhece o Google Earth? Ou o Google Maps? Já utilizou?

Bom, o Google Earth é um banco de imagens da superfície terrestre captadas por satélites. Com este serviço da Google, é possível você visualizar até mesmo sua casa, com alto nível de resolução.



Viste como recursos como esse e outros disponíveis na internet podem nos ajudar a estudar Geografia?



Então: para usar o Google Earth, basta acessar o endereço: http://www.earth.google.com/, baixar e instalar o programa ( no site do desenvolvedor, você vai encontrar mais informações sobre o uso).

Uma outra opção que podemos usar é o Google Maps. Este serviço também disponibiliza imagens de satélite, e mapas das áreas que você desejar.
Para acessar esta opção, o endereço é: http://maps.google.com.br/.

Que tal, gostaram das dicas? Vamos então navegar e explorar o nosso planeta com a ajuda do satélite?


domingo, 3 de maio de 2009

Luto. Tristeza.

Acontece de vez em quando, infelizmente..

Pessoas vem, pessoas vão, algumas mais cedo, outras mais tarde, outras de maneira totalmente inesperada... Infelizmente...

Há horas em nossa vida que somos tomados por uma enorme sensação de inutilidade, de vazio.

Questionamos o porquê de nossa existência e nada parece fazer sentido.

Concentramos nossa atenção no lado mais cruel da vida, aquele que é implacável e a todos afeta indistintamente: As perdas do ser humano... de um amigo... de um colega... de um aluno.

Existem mil formas de perder na vida, a perda de um objeto de valor, a perda de uma partida de futebol ou qualquer outro jogo, perder o ônibus, perder o caderno da amiga, perder o boné do amigo...

Enfim, existem mil formas de se perder, as mais doloridas são perder um sentimento por alguém, perder um grande amor, perder alguém de sua família e, acima de tudo, uma perda muito, mas muito grande é a perda de um amigo....

Neste último dia do mês de abril, às 18h 45 minutos, perdemos nosso querido aluno e colega
Charles Holling. . . um acidente, uma terrível fatalidade lhe tirou a vida aos 16 anos de idade.

Ainda estamos perplexos, meio tontos, como diziam seus colegas... " não caiu a ficha"... não é verdade...

Algumas perdas são superadas, mas família e amigo, fica pra sempre um sentimento de vazio, uma dor que não se suporta, momentos que não voltam mais, pensar que não os terá daqui pra frente, que algo em sua vida vai ser diferente...

Um amigo, não dá para simplesmente esquecer que ele fez parte de nossas vidas, não se apaga tudo que acontece, esquecer os momentos que ele sempre brincou, chorou, riu, brigou ou apenas que ele simplesmente existiu...

Nem o dicionário definiria o que é ser amigo de verdade, não existe vocabulário suficiente que descreva um amigo, não há adjetivos que possam qualificar um grande amigo...

Pessoas assim como o Charles deveriam ser eternas, deveriam ser colocadas em pedestais, colocadas em uma redoma de vidro, para nunca irem embora...

Mas infelizmente ou felizmente, a vida não é assim, estamos aqui todos nós apenas de passagem, estamos aqui para fazer nossa história, realizar os planos de Deus, e cada um tem seu destino certo...

Não sabemos os momentos que as coisas acontecem, apenas acontecem, infelizmente existem pessoas em nosso Planeta que gostam de antecipar o tempo de Deus e com isso trazendo sofrimento para as pessoas.

Ele tem um destino certo para cada filho, Ele sabe que não importa o momento às pessoas que ficam sofrerão pelas que vão, porém Ele faz de tudo para acalmar o coração dos que ficam...

Não há sentimento maior que a saudade de um amigo, dor maior que o vazio, momento pior do que a solidão que atinge nossos corações, embora temos ciência que nosso amigo está ao lado de Deus.
Ele está bem, fazendo festa no céu, olhando pelas pessoas que ficam...

Fica uma enorme tristeza pela partida, um vazio nasce em todos os corações...Mas há uma festa enorme pela chegada lá no céu, um brilho novo irá surgir, uma estrela nova...

As perdas são difíceis de serem superadas, as lembranças jamais esquecidas, o amor por aquele que se foi nunca se apaga!!!!

Que Deus sempre abençoe a todos!!!

Que nossas estrelinhas sempre brilhem, iluminando a vida!!

sábado, 25 de abril de 2009

Atividade:


Vamos resolver alguns exercícios sobre Cartografia:

1) Num mapa de escala 1:300.000, uma cidade dista 10 cm de outra. Qual a distância real entre elas?


Marque a(as) alternativa (s ) correta(s) :

2) Considere dois mapas: o A tem a escala 1 :10.000 e o B 1:50.000.000.
a) ambos apresentam a mesma riqueza de detalhes.
b) o A apresenta menor riqueza de detalhes
c) o A apresenta maior riqueza de detalhas.
d) o B apresenta a escala maior.
e) o A tem uma escala grande e o B uma escala pequena
f) ambos tem escala média.

3) Considerando as escalas 1:100.000 e 1:5.000.000 é correto afirmar que:
a) a primeira é uma grande escala e a segunda uma pequena escala.
b) ambas são grandes escalas.
c) ambas são pequenas escalas.
d) a primeira pode ser usada para uma planta de casa, prédio, ...
e) a 2ª pode ser usada para representar o mapa mundi.
4) Dentre as escalas abaixo, a que possibilita um mapeamento detalhado é:
( ) 1:5.000 ( ) 1:40.000 ( ) 1: 500.00 ( ) 1:15.000

5) Relacione as colunas:
a) escala grande ( ) 1:5 000 000 ( ) ideal para representar o mapa mundi, ...
b) escala média ( ) 1: 5 000 ( ) ideal para representar uma cidade, ...
c) escala pequena ( ) 1: 500 000 ( ) ideal para representar regiões, estados...

6) Em um mapa com escala 1: 7.500.000, duas cidades distam entre si 5,2 cm.
Qaul a distância real entre elas?
( ) 3.900 km ( ) 382 cm ( ) 390 km ( ) 375 km

7) A distância entre POA e São Leopoldo é e 25 km. Qual a distância entre essas cidades em um mapa de escala 1:100.000?
( ) 50 cm ( ) 25 cm ( )5,5 km d) 2,5 cm


8) Qual a distância no mapa entre duas cidades que distam 88 km e a escala é 1:2.200.000?

9) Qual a escala de um mapa cuja distância real entre duas cidades é de 475 km e a distância no mapa é 25 cm?

10 Qual a distância real entre a cidade A e a cidade B, sabendo-se que a distância no mapa é 22 cm e a escala é 1: 12.000?

Vamos comentar?



Talvez algum de vocês esteja com dificuldade em fazer um comentário, ou ainda não sabem como fazê-lo(ou nunca fizeram um) .

Sem problemas!

Clique aqui e assista a um vídeo com o tutorial ensinando como fazer comentários em um blog .

Leia também as “dicas” que o professor Michel dá para fazermos um comentar corretamente.
Fique a vontade para explorar o blog do professor Michel e para fazer seu comentário. OK?

terça-feira, 21 de abril de 2009

Tipos de representações planimétricas:

Planta mapa Carta


Planta - superfície pequena numa escala grande
Mapa - superfície grande numa escala pequena
Carta - superfície média numa escala média

Elementos das representações planimétricas:

Independentemente do tipo de mapa que queremos utilizar e da área nele retratada ( o mundo, um continente, um país ou apenas um bairro ) para que a sua leitura seja facilitada e se considere o mapa completo em termos de concepção deve conter os seguintes elementos:


Título (assunto)


Legenda ( Símbolos, cor, ...)


Coordenadas ( Localizaçao)


Orientação ( posição, pontos cardeais)


Escala ( Proporção)