Ijuí - Escola Ruyzão - Geografia - Ver o mundo com um outro olhar ... Venha comigo!

INDUSTRIALIZAÇÃO

Os combustíveis fósseis.

Vídeo 1 - História da tecnologia alimentada por combustíveis fósseis

A ONG norte-americana "Post Carbon Institute" faz um  alerta para o término dessa fonte energética, como dos sérios obstáculos que  sua extração representa no presente.
Também são apresentados caminhos ( que sejam preferencialmente sustentáveis ) possíveis para uma transição à era do pós-carbono.
 Lança uma reflexão sobre a capacidade das sociedades civis e dos Estados para se refazerem dos problemas sociais e ambientais causados pelo uso abusivo de carbono. 


Assista os vídeos:






REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 



Trabalhando com Hipertexto



Continuando nosso estudo sobre A evolução da atividade industrial no mundo, faremos um HIPERTEXTO sobre:


** A indústria nos países desenvolvidos: Reino Unido, França, Itália, Alemanha, Canadá, Japão, Estados Unidos.


** Países subdesenvolvidos industrializados.

Como será este trabalho:
1- Em sala de aula faremos o texto. Para esta síntese nos orientaremos pelos Capítulos 40, 41 e 42 do nosso livro.

2- Explicação de como se faz um hipertexto ( pela professora em sala de aula e lendo no blog Geografia no Ruyzão, postagens anteriores). Clique aqui para ir à página com as instruções)

3- No LIE ( Laboratório de Informática Educativa) digitaremos no Word ou no Writer, o texto já rascunhado em sala de aula. Faremos os hiperlinks para mapas, imagens, sons, vídeos ou textos explicativos.

4- Publicação dos hipertextos.





A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do modo de produção doméstico pelo sistema fabril constituiu a Revolução Industrial; revolução, em função do enorme impacto sobre a estrutura da sociedade, num processo de transformação acompanhado por notável evolução tecnológica.

 

a) Onde começou: Inglaterra
b) Em que período: Século XVIII
c) Ramo da produção em que a mecanização teve início: Têxtil
d) sistema econômico que inaugurou: Capitalismo
e) característica da sociedade surgida com a revolução Industrial: Dividida entre burgueses e proletariado.



A Revolução Industrial comumente é dividida pela geografia e pela historiografia tradicional em etapas:

Primeira etapa (1760- 1860) - a revolução Industrial ficou limitada, basicamente, à Inglaterra, primeiro pais europeu a desenvolver o processo de industrialização. O grande destaque foi o desenvolvimento da indústria de tecidos de algodão, com a utilização do tear mecânico. Além disso, o aperfeiçoamento das máquinas a vapor teve extrema importância para o progresso das fábricas.

Segunda etapa (1860-1900) - a Revolução Industrial espalhou-se pela Europa central e oriental, atingindo países como Bélgica, França, Alemanha, Itália e Rússia. Alcançando outros continentes, o processo de industrialização chegou aos Estados Unidos e ao Japão.

Nessa etapa, as principais inovações técnicas foram: a utilização do aço, superando o ferro; o aproveitamento da energia elétrica e dos combustíveis petrolíferos; a invenção do motor a explosão, da locomotiva elétrica; e o desenvolvimento dos produtos químicos. 

O progresso tecnológico foi de tal modo significativo que essa etapa é comumente denominada Segunda Revolução Industrial.







Terceira Etapa - 1900 até hoje – Surgem conglomerados industriais e multinacionais. A produção se automatiza; surge a produção em série; e explode a sociedade de consumo de massas, com a expansão dos meios de comunicação. Avançam a indústria química e eletrônica, a engenharia genética, a robótica.

 O processo de industrialização:


Nosso espaço geográfico atual é o resultado das transformações introduzidas pela Revolução Industrial nas suas diferentes etapas.
Portanto, o modo de vida atual é, direta ou indiretamente, fruto das transformações trazidas pela tecnologia industrial.
A indústria foi responsável pelas grandes  transformações urbanas, pela multiplicação de diversos ramos de serviços que caracterizam a cidade moderna, pelo desenvolvimento dos meios de transporte e comunicação, pela maior produtividade e pela conseqüente elevação da produção agrícola e pelo êxodo rural. Introduziu um novo modo de vida e novos hábitos de consumo, criou novas profissões, promoveu uma nova estratificação da sociedade e uma nova relação desta com a natureza.

1- Nos países desenvolvidos

Os países que realizaram seu processo de industrialização na Primeira Revolução Industrial são aqueles que são hoje os ricos e desenvolvidos.

Exemplos: o Reino Unido, pioneiro na industrialização, França e aqueles um pouco mais retardatários Alemanha e Itália, que só lograram unificar-se no fim do século XIX.

No continente americano, os EUA tomam a dianteira, seguindo-se o Canadá (que se tornou independente em 1867) e, no Extremo Oriente, o Japão, que iniciou seu processo de ocidentalização com a ascensão da dinastia Meiji, em 1868.

Portanto, foi a indústria quem definiu quem seria rico e quem seria pobre na nova divisão internacional do trabalho (DIT).

Esses países estão reunidos atualmente em um seleto grupo, o G-8, que reúne Estados Unidos, Alemanha, França, Reino Unido, Canadá, Itália e Japão, os sete países mais ricos e industrializados do mundo, mais Rússia.

2- Nos países          subdesenvolvidos


Aqueles países que realizaram seu processo de industrialização após a década de 1950 são conhecidos por diferentes classificações: Países Subdesenvolvidos Industrializados, Novos Países Industrializados (NIPs), Economias Emergentes.
Um aspecto em comum entre essas nações é a sua dependência da tecnologia dos países desenvolvidos.
Foi a globalização o principal responsável pela descentralização das indústrias, onde foi proporcionado todo o aparato tecnológico para a difusão das empresas transnacionais ( as empresas com sede nos países desenvolvidos, visando expandir seu mercado consumidor e obter maior lucratividade, passaram a instalar filiais em países subdesenvolvidos).
 Ao instalar filiais nesses países, as transnacionais se beneficiam com mão de obra barata, incentivos fiscais, abundância de matérias primas, doação de terrenos, etc. Por outro lado, os países subdesenvolvidos aumentam a geração de emprego e se industrializam.
Também podemos citar a necessidade de reduzir as importações, ou seja, produzir para abastecer o mercado interno. Esse processo impulsionou a industrialização dos países latino-americanos, como, por exemplo, o Brasil, a Argentina e o México. Posteriormente, essas nações iniciaram o processo de internacionalização do mercado, recebendo, portanto, filiais de empresas transnacionais.
Durante a década de 1960, o processo de industrialização nos países emergentes se intensificou, destacando no cenário mundial os “Tigres Asiáticos” (Coreia do Sul, Taiwan, Hong Kong e Cingapura). 
Com exceção da Coreia do Sul, os outros “Tigres” receberam várias filiais de transnacionais, sendo proporcionadas vantagens para sua instalação.
A partir da década de 1980, países emergentes como a Malásia, Tailândia, Indonésia, China, Índia, Filipinas, entre outros, obtiveram elevados padrões de industrialização. Esse processo também ocorreu de forma significativa nas nações da América Latina.


Atualmente, existem empresas transnacionais que possuem matriz em países emergentes, como, por exemplo, as brasileiras Petrobras, Vale do Rio Doce, Perdigão e Sadia.

Referência Bibliográfica:


 


As fábricas do início da Revolução Industrial não apresentavam o melhor dos ambientes de trabalho. As condições das fábricas eram precárias. Eram ambientes com péssima iluminação, abafados e sujos. 

Os salários recebidos pelos trabalhadores eram muito baixos e chegava-se a empregar o trabalho infantil e feminino.

 Os empregados chegavam a trabalhar até 18 horas por dia e estavam sujeitos a castigos físicos dos patrões. Não havia direitos trabalhistas como, por exemplo, férias, décimo terceiro salário, auxílio doença, descanso semanal remunerado ou qualquer outro benefício. 

Quando desempregados, ficavam sem nenhum tipo de auxílio e passavam por situações de precariedade.





EXERCÍCIOS – REVOLUÇÃO INDUSTRIAL


1- (UNIFOR - 2000) Um fator decisivo para o desenvolvimento da Revolução Industrial na Inglaterra, a partir da segunda metade do século XVIII, foi

a) o estímulo ao desenvolvimento inglês, promovido pela concorrência tecnológica com os americanos.
b) o acordo comercial conhecido por Tratado de Methuen, que estabeleceu a abertura de mercados alemães.
C) a união dos interesses nacionais em torno de um esforço de desenvolvimento, logo após a expulsão das tropas napoleônicas do território inglês.
d) a crescente expansão inglesa nos mercados coloniais que possibilitou um grande acúmulo de recursos financeiros.
e) o incentivo à inovação tecnológica como resultado da ação dos ludistas que destruíram as máquinas consideradas obsoletas.

2 - (UFRN - 2000) A Primeira Revolução Industrial, iniciada em fins do século XVIII, provocou várias transformações na sociedade européia, tais como:

a) intensificação das intervenções estatais na economia – surgimento do operariado – fortalecimento do controle político das metrópoles sobre suas colônias
b) difusão dos princípios revolucionários liberais – produção em grande escala direcionada para o mercado internacional – melhoria das condições de vida e trabalho no meio urbano
c) transferência do centro econômico das áreas rurais para as urbanas – afirmação do poder econômico da burguesia – consolidação do capitalismo como sistema dominante
d) crise do antigo regime monárquico e absolutista – consolidação da propriedade privada dos meios de produção – redução dos conflitos armados entre as nações européias

3 – (Mackenzie) “Na Idade Média, o sistema de produção baseava--se na cooperação. Na Idade Moderna, até por volta de 1760, a manufatura foi característica do sistema de produção. A partir de 1760, aproximadamente, inicia-se a era da grande indústria.” - Carlos Guilherme Mota
Dentre as características dos três sistemas de produção citados no texto, respectivamente, destacamos:

a) No primeiro, não havia separação entre o capital e o trabalho; no segundo, já se observa uma divisão social do trabalho preliminar; no terceiro, o uso da máquina leva ao extremo a separação entre o capital e o trabalho.
b) Na Alta Idade Média, a produção destinava-se a um mercado em constante expansão, sob as ordens dos senhores feudais; na Idade Moderna, aprofunda-se a rigidez do controle sobre a produção nas manufaturas; na Idade Contemporânea, os meios de produção são controlados pela burguesia.
c) Na Primeira Revolução Industrial, o surgimento das máquinas; na Segunda Revolução Industrial, o avanço dos meios de transportes marítimos e ferroviários; na Terceira Revolução Industrial, os avanços ultra-rápidos das novas tecnologias, a robótica e a biotecnologia.
d) No primeiro sistema de produção citado, temos relações servis de produção; durante o segundo, começam a ser organizadas as associações de comerciantes, Trade Unions; no terceiro, temos a perda da independência econômica da classe dos trabalhadores.
e) No período feudal, temos a supremacia da burguesia na ordem econômica; na Idade Moderna, ocorrerá a ascensão de uma classe de ricos comerciantes e de banqueiros; após a Revolução Industrial, teremos a superação da divisão social do trabalho.

4 - (CES – JF) - A Revolução Industrial, que transformou profundamente a ordem econômica mundial, teve origem na Inglaterra, relacionada com:

a) A decadência da monarquia parlamentar;
b) triunfo da ideologia liberal;
c) O fim da hegemonia marítima;
d) A existência do petróleo e a eletricidade;
e) O movimento socialista.

5 - (PUC – MG – 1999) A difusão do industrialismo e o desenvolvimento tecnológico na segunda metade do século passado resultaram, EXCETO:

a) na afirmação da classe operária, impondo uma nova relação de forças entre capital e trabalho.
b) na intensificação do processo de urbanização, levando ao surgimento de metrópoles cosmopolitas.
c) na intervenção do Estado na esfera econômica, rompendo com os princípios básicos do liberalismo.
d) no aumento do fluxo internacional de mercadorias e pessoas, elevando o volume do comércio e da emigração.
e) na produção em larga escala, condição ao estabelecimento da sociedade de consumo de massas.

6 - (PUC-SP) O avanço tecnológico da Revolução Industrial do século XIX, na Inglaterra, foi acompanhado de importantes alterações no processo de trabalho fabril, tais como.

a) Capacitar o trabalhador a desenvolver suas aptidões individuais.
b) Conjugar a atividade física ao esforço mental de cada trabalhador.
c) Permitir ao trabalhador controlar seu próprio ritmo de trabalho
d) Adequar a destreza individual do trabalhador aos processos mecanizados.
e) Determinar os intervalos de paralisação durante a jornada diária de trabalho.

7 - (PUC – MG - 1998) A sociedade técnico-industrial, que se consolida a partir do século XVIII, cria um novo comportamento humano, marcado pela:

a) fascinação exercida pela mercadoria.
b) personalização dos hábitos de consumo.
c) rejeição às coisas próprias do espírito.
d) padronização do belo e do artístico.
e) negação do sentido de individualidade.

8 - (PUC – MG - 1998) A era do maquinismo, que se inicia na Inglaterra no século XVIII:

a) quebra a estrutura familiar.
b) gera a solidariedade no trabalho.
c) desqualifica o trabalho feminino.
d) alivia a fadiga dos operários.
e) democratiza a obtenção do lucro.

9 - (PUC – MG - 1999). São características básicas do industrialismo, EXCETO:

a) a especialização das tarefas.
b) a padronização dos produtos.
c) a retração do mercado.
d) a produção em larga escala.
e) a sincronização do trabalho.

10 - (PUC – MG - 2000). As transformações econômicas e sociais ocorridas na Europa durante os séculos XVIII e XIX, fruto da difusão do industrialismo, estimularam, EXCETO:

a) o avanço da doutrina social da Igreja, propondo alcançar a justiça social através da solidariedade cristã.
b) o desenvolvimento dos ideais socialistas, em oposição à sociedade burguesa capitalista dominante.
c) a centralização do poder político e o estabelecimento de regimes totalitários de extrema direita.
d) a organização da classe operária e o surgimento dos primeiros sindicatos de trabalhadores.
e) a elaboração dos princípios da organização científica do trabalho, racionalizando a produção.

(PUC – MG) RESPONDA ÀS QUESTÕES DE NÚMERO 11 E 12 TOMANDO COMO REFERÊNCIA O TEXTO REPRODUZIDO A SEGUIR:

“É curioso que quando a fabricação de algodão apenas começava, todas as operações, desde o preparo da matéria-prima até a sua transformação em tecido, se completavam sob o teto da cabana do tecelão. O processo da manufatura determinou que o fio seria fiado nas fábricas e seria tecido nas cabanas. Na época atual, quando a manufatura chegou a sua etapa de maturidade, todas as operações voltam a realizar-se em um único edifício, recorrendo-se a meios superiores e máquinas mais complexas.” Guest, O efeito do tear mecânico sobre a produção.

11. O fragmento de texto acima transcrito se refere:

a) à consolidação das estruturas capitalistas de produção, com a valorização do trabalho artesanal.
b) às transformações verificadas na produção a partir da chamada segunda fase da Revolução Industrial.
c) ao processo de evolução da produção têxtil, observado na Inglaterra durante a transição feudal/capitalista.
d) ao desenvolvimento de um sistema econômico fundamentado no trabalho de produtores autônomos.
e) à queima de etapas perceptível na industrialização dos chamados países capitalistas de segunda geração.

12. A análise histórica das colocações feitas por Guest permite afirmar, EXCETO:

a) O desenvolvimento tecnológico e a mecanização da produção possibilitaram a consolidação do industrialismo.
b) A produção artesanal, de herança feudal, mostrou-se incapaz de atender à demanda crescente do mercado.
c) A concentração dos trabalhadores em um mesmo espaço físico acelerou a especialização de funções.
d) O sistema de produção domiciliar tornou-se dominante, superando as estruturas peculiares das manufaturas.
e) As transformações observadas no processo produtivo levaram o trabalhador a perder gradativamente sua independência.

13 - (UFMG - 1999) Leia a frase: "A revolução industrial foi também uma revolução de idéias". Todas as seguintes afirmações confirmam o teor dessa citação, EXCETO

a) Estimulou a associação entre iguais na defesa de interesses comuns.
b) Permitiu o início de uma nova atitude para com os problemas da sociedade humana.
c) Estabeleceu um avanço na compreensão do domínio da natureza.
d) Garantiu seus benefícios ao conjunto dos cidadãos ingleses.

14 - (ESPM – 2000) Analise o texto.
"A fábrica surgiu muito mais por imperativos organizacionais do que por pressões tecnológicas. (...) Essa nova utilização da maquinaria não só visava conseguir a docilização e a submissão do trabalhador fabril, e, nesse sentido, assegurar a regularidade e a continuidade da produção, mas representou também um forte obstáculo aos movimentos de resistência do trabalhador fabril." (Edgar Salvadori De Decca. O nascimento das fábricas. São Paulo: Brasiliense, 1986, p. 32)

De acordo com as idéias do autor, pode-se afirmar que:

a) as invenções tecnológicas surgiram após o aparecimento das fábricas.
b) a fábrica proporcionou condições para que o trabalhador fosse mais organizado.
c) a organização fabril atendia à necessidade de disciplinar e controlar o trabalhador.
d) os trabalhadores não resistiram à implantação da maquinaria nas fábricas.
e) o trabalho fabril não assegurava a regularidade e a continuidade da produção.

15 - (FGV – 1997) Qual das invenções técnicas abaixo não faz parte da Primeira Revolução Industrial:

a) tear mecânico de Cartwright;
b) motor a explosão
c) lançadeira volante de John Kay;
d) máquina a vapor de James Watt;
e) locomotiva de Stephenson.

16 - (FUVEST – 1993) Sobre a inovação tecnológica no sistema fabril na Inglaterra do século XVIII, é correto afirmar que ela

a) foi adotada não somente para promover maior eficácia da produção, como também para realizar a dominação capitalista, na medida que as máquinas submeteram os trabalhadores a formas autoritárias de disciplina e a uma determinada hierarquia.
b) ocorreu graças ao investimento em pesquisa tecnológica de ponta, feito pelos industriais que participaram da Revolução Industrial.
c) nasceu do apoio dado pelo Estado à pesquisa nas universidades.
d) deu-se dentro das fábricas, cujos proprietários estimulavam os operários a desenvolver novas tecnologias. e) foi única e exclusivamente o produto da genialidade de algumas gerações de inventores, tendo sido adotada pelos industriais que estavam interessados em aumentar a produção e, por conseguinte, os lucros.

17 - (FUVEST – 2000) Evolução da economia britânicaA - Porcentagem da renda nacional gerada pelo setor.B - Porcentagem da população ativa empregada no setor.C - Milhões de pessoas empregadas no setor.Os dados acima evidenciam:
a) o colapso da agricultura inglesa ao longo do século XIX, devido à manutenção de formas feudais da exploração da terra.
b) o crescimento econômico do setor industrial, efeito direto da Revolução Industrial das duas últimas décadas do século XVIII.
c) o papel do capitalismo financeiro, que sustentara o setor de serviços desde a Revolução Gloriosa e que manteve sua estabilidade durante todo o século XIX.
d) o relativo papel econômico da indústria, pois sua renda nunca superou o somatório da renda gerada por todos os demais setores da economia.
e) a manutenção dos níveis de renda do setor primário, ao longo do século XIX, como resultado da política mercantilista do Estado inglês.

18 - (MACKENZIE – 1999) Na Idade Média, o sistema de produção baseava-se na cooperação. Na Idade Moderna, até por volta de 1760, a manufatura foi característica do sistema de produção. A partir de 1760, aproximadamente, inicia-se a era da grande indústria. Carlos Guilherme Mota
Dentre as características dos três sistemas de produção citados no texto, respectivamente, destacamos:

a) No primeiro, não havia separação entre o capital e o trabalho; no segundo, já se observa uma divisão social do trabalho preliminar; no terceiro, o uso da máquina leva ao extremo a separação entre o capital e o trabalho.
b) Na Alta Idade Média, a produção destinava-se a um mercado em constante expansão, sob as ordens dos senhores feudais; na Idade Moderna, aprofunda-se a rigidez do controle sobre a produção nas manufaturas; na Idade Contemporânea, os meios de produção são controlados pela burguesia.
c) Na Primeira Revolução Industrial, o surgimento das máquinas; na Segunda Revolução Industrial, o avanço dos meios de transportes marítimos e ferroviários; na Terceira Revolução Industrial, os avanços ultra-rápidos das novas tecnologias, a robótica e a biotecnologia.
d) No primeiro sistema de produção citado, temos relações servis de produção; durante o segundo, começam a ser organizadas as associações de comerciantes, Trade Unions; no terceiro, temos a perda da independência econômica da classe dos trabalhadores.
e) No período feudal, temos a supremacia da burguesia na ordem econômica; na Idade Moderna, ocorrerá a ascensão de uma classe de ricos comerciantes e de banqueiros; após a Revolução Industrial, teremos a superação da divisão social do trabalho.

19 - (PUC – MG – 1997) A inauguração da produção industrial no século XVIII, na Inglaterra, modifica a face da sociedade porque, EXCETO:

a) transfere o controle da produção das mãos do trabalhador para as mãos do empresário capitalista.
b) subordina as regras do mercado ao crescente volume da produção mecanizada.
c) modifica o conceito de consumo, ampliando-o para muito além das necessidades básicas.
d) propicia a formação de cidades industriais, superando o caráter rural das sociedades.
e) transforma o trabalhador num ser submisso e alienado, inviabilizando as organizações de classe.

20 - (PUC – MG – 1998) As brincadeiras infantis são formas de interpretação do mundo em que vivemos, mas a produção industrial de brinquedos:

a) condiciona o desejo infantil à lógica do capital.
b) abre as portas para o entendimento de outros países.
c) democratiza o acesso ao espaço do lazer e do lúdico.
d) resulta numa grave deformação dos valores infantis.
e) prepara as crianças para o mundo do trabalho.

21 - (LASSALE – 2000) “(...) Marcam época, na história da acumulação primitiva, todas as transformações que servem de alavanca à classe capitalista em formação, sobretudo aqueles deslocamentos de grandes massas humanas, súbita e violentamente privadas de seus meios de subsistência e lançadas no mercado de trabalho como levas de proletários destituídos de direitos. A expropriação do produtor rural, do camponês que fica assim privado de suas terras, constitui a base de todo o processo”.(MARX, Karl. O capital. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1971, v.2, p. 830-1.)

O texto acima faz referência a que acontecimento situado em que período histórico?

a) Ao renascimento comercial, quando o êxodo rural passa a ser uma constante em função do renascimento urbano e feiras medievais, ocorrido na Baixa Idade Média.
b) Ao surgimento da economia mercantil ou capitalismo comercial decorrente da exploração colonial do Novo Mundo americano e afro-asiático, ocorrido na Idade Moderna.
c) Ao processo de cercamento dos campos, principalmente na Inglaterra, ocorrido na Idade Contemporânea.
d) À substituição das Guildas pelas manufaturas pré-industriais que aproveitaram a mão-de-obra expulsa do campo, ocorrida na Idade Moderna.
e) Ao advento das Cruzadas, que expulsou os camponeses de suas terras para formar exércitos, ocorrido na Baixa Idade Média.

22 - (PUC-2000) Dentre as profundas transformações observadas nas estruturas produtivas a partir de meados do século XVIII, que caracterizaram o início do fenômeno histórico conhecido como Revolução Industrial, destacam-se, EXCETO:

a) a intensa divisão de tarefas e a especialização da mão-de-obra.
b) a mecanização do esforço produtivo e o aumento da produção.
c) o aperfeiçoamento dos transportes e dos meios de comunicação.
d) a concentração de um grande número de operários nas fábricas.
e) a redução do controle capitalista sobre as atividades econômicas.

23 - (PUC – MG – 2000) A consolidação das estruturas industriais na Inglaterra, a partir de meados do século XVIII, pode ser considerada como o resultado da articulação de diversos fatores, EXCETO:

a) a liberação de mão-de-obra através do movimento de cercamentos.
b) a instauração de uma monarquia absolutista após a Revolução Gloriosa.
c) a hegemonia marítima inglesa e o controle do comércio mundial.
d) a difusão da ideologia liberal e o domínio da livre iniciativa.
e) a existência de vastas jazidas de ferro e carvão necessárias à produção mecanizada.

24 - (PUC – PR – 1999) O significado mais amplo da Revolução Industrial foi a consolidação do capitalismo e a separação entre a propriedade e o trabalho. São efeitos da Revolução Industrial, exceto:

a) Aumento da produção devido ao aprimoramento tecnológico. Urbanização e desenvolvimento dos transportes.
b) Concentração das indústrias para aproveitamento energético dos rios, economia de transportes, de matéria-prima, necessidade de controle da produção, etc.
c) Estímulos às combinações financeiras que geraram as diferentes associações no capitalismo, possibilitando aumento de lucros.
d) Estímulo ao comércio com a supressão das barreiras colocadas pelo mercantilismo.
e) Melhoria das condições de vida das camadas populares devido à substituição da servidão pela mão-de-obra assalariada.

25 - (PUC – RJ – 2000) Sobre os cercamentos dos campos (enclosures), na Inglaterra, durante a Idade Moderna, é correto afirmar que:

a) foram conseqüência, a princípio, das desapropriações de terras decretadas por Henrique VIII, no contexto das perseguições contra católicos, descontentes com a criação da Igreja Anglicana.
b) relacionaram-se ao processo de mercantilização da propriedade fundiária e, paralelamente, provocaram a liberação de mão-de-obra.
c) foram causados pelo início da maior utilização de máquinas na produção agrícola, influenciando na transição do uso predominante do trabalho servil para o trabalho assalariado.
d) determinaram o fim das relações feudais, interferindo no crescente enfraquecimento político da nobreza fundiária e na projeção cada vez maior da burguesia comercial.
e) ocasionaram o empobrecimento de milhares de camponeses, que, em especial no século XVII, compuseram o principal contingente de colonos para as terras da América.

26 - (UERJ – 2000) O século XXI começa sob o regime de uma revolução econômica que talvez só seja comparável à revolução industrial do final do século XVIII. Nos últimos 100 anos não vimos nada igual. (Veja, 07/07/99)

Apesar da aproximação estabelecida acima, a Revolução Industrial do século XVIII e a revolução econômica em curso possuem diversas diferenças entre si. Esses dois processos distinguem-se por apresentarem, respectivamente, as seguintes características:

a) acumulação de capital no setor terciário através dos bancos – acumulação de capital
através da transformação capitalista da agricultura
b) revolução agrícola necessária à acumulação de capital – desapropriação dos terrenos improdutivos para incentivo à industrialização
c) crescimento das atividades artesanais centradas nas oficinas domésticas – especialização da mão-de-obra na produção em série
d) predominância de empresas formadas por capital familiar limitado – revolução técnico-científica com a aplicação da ciência no desenvolvimento econômico

27 - (UFJF – 2000) A partir do aparecimento da fábrica moderna, vinculada à utilização industrial da energia a vapor e à mecanização da produção de tecidos no século XVIII, a economia capitalista conheceu diferentes saltos tecnológicos, freqüentemente denominados revoluções industriais. Sobre estas, assinale a alternativa CORRETA:

a) em virtude da expansão imperialista, a Alemanha foi o epicentro da Primeira Revolução Industrial, desencadeada a partir do investimento produtivo de recursos obtidos com a exploração das colônias;
b) o desenvolvimento da eletricidade e da produção de aço foi característico da Segunda Revolução Industrial, tendo conduzido ao declínio dos monopólios capitalistas, dado o preço reduzido da energia elétrica e das matérias-primas, que facilitou a afirmação de empresas de pequeno porte;
c) em geral associados à Segunda Revolução Industrial, desenvolveram-se o taylorismo e o fordismo, a partir do controle rigoroso do ritmo de trabalho dentro das empresas, que se tornaram cada vez mais especializadas;
d) a Terceira Revolução Industrial, vinculada à utilização da microeletrônica, da biotecnologia e da informática, conduziu a uma expansão espetacular do emprego industrial na etapa contemporânea do desenvolvimento capitalista.

28 - (UFF – 1996)

“Rostow afirma que o take-off começou na França em 1830 e deveu-se essencialmente à construção de ferrovias. Minha resposta é que não houve um verdadeiro take off...” (MARCZEWSKI Jean, , citado por FOHLEN, Claude. The industrial Revolution in France 1700 - 1914. In: CIPOLLA, Carlo M., org. The emergence of industrial societies - 1. London-Glasgow: Collins-Fontana, 1973, p. 12.)

Take-off é a expressão com que Walter Rostow designa uma fase relativamente curta de arrancada de um país para o desenvolvimento econômico. Escolha a opção que interpreta corretamente o significado da passagem acima no tocante à Revolução Industrial francesa:

a) A construção de ferrovias se fez na França, diferentemente do que ocorreu na Inglaterra, fora das estruturas capitalistas e, portanto, não serviu de base à Revolução Industrial.
b) Ao contrário do caso inglês, no caso francês não houve Revolução Industrial, por faltarem na França as precondições da mesma.
c) Como no caso inglês, no caso francês não houve Revolução Industrial, já que tal ex-pressão designa uma teoria obsoleta, hoje descartada.
d) Como no caso inglês, no caso francês as ferrovias não foram importantes economicamente.
e) Mais do que no caso inglês, no caso francês a Revolução Industrial foi um processo lento e gradual, além de não poder atribuir-se o seu impulso dinâmico a algum setor econômico isolado.

29 - (UFF – 1998) A propósito da Revolução Industrial - que não se reduziu ao modelo inglês - considere as afirmativas:

I) Na França, a industrialização optou pela qualidade com alto custo produtivo.
II) Na Alemanha, a indústria surgiu ligada ao capital bancário, resultando na associação entre instituições arcaicas do Estado alemão e um capitalismo desenvolvido.
III) No Brasil, a industrialização se iniciou em 1950 com forte intervenção estatal para produzir bens de capital.
IV) Nos Estados Unidos, o sul escravocrata não foi um obstáculo decisivo à industrialização.

As afirmativas que estão corretas são as indicadas por:

a) I, II e IV
b) I, III e IV
c) I e IV
d) II, III e IV
e) II e IV

30 - (UFU – 1999) "A divisão do trabalho e a mecanização complementam-se e reforçam-se mutuamente. (...) somente com a introdução da maquinaria, com seu ritmo constante, é possível realizar o sonho - ou o pesadelo - de uma administração exata do tempo e dos movimentos do operário, sem a onerosa necessidade de colocar um capataz e um cronometrador atrás de cada um." ENGUITA, Mariano F. "Tecnologia e sociedade: a ideologia da racionalidade técnica, a organização do trabalho e a educação". In: SILVA, Tomaz T. da.(org.) Trabalho, Educação e Prática Social. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991. p. 235.
Tomando como referência a citação acima, podemos afirmar que

I- o Taylorismo, concepção produtivista desenvolvida por Frederick Taylor nos Estados Unidos, entre o final do século XIX e início do século XX, tinha como características o controle sobre os gestos e comportamentos do trabalhador, com o intuito de evitar o "desperdício de tempo" e a decomposição da produção em movimentos monótonos, causando tédio e idiotização do trabalhador.
II- o Fordismo, desenvolvido por Henry Ford, seguiu a trilha aberta por Taylor ao utilizar a linha de montagem na fabricação em massa de automóveis, ao fixar o operário em um mesmo posto, subordinando-o à máquina.
III- no mundo contemporâneo, a chamada "desindustrialização" - processo de utilização da microeletrônica para a criação de novos postos de trabalho - substituiu os antigos robôs, provocando a diminuição do desemprego, melhorando a distribuição de renda em países emergentes como o Brasil, e criando novas oportunidades de lazer aos trabalhadores.

Assinale
a) se apenas I e II são corretas.
b) se apenas I é correta.
c) se apenas II é correta.
d) se apenas II e III são corretas.
e) se todas são corretas.

31 - (UNIPAR – 2000) A Segunda Revolução Industrial ocorrida no século XIX, pode ser caracterizada pelo grande desenvolvimento em três aspectos apontados corretamente na alternativa:

a) Indústria têxtil - Energia a vapor - Metalurgia
b) Transportes - Siderurgia – Petróleo
c) Indústria química - Metalurgia - Eletricidade
d) Indústria automobilística - Eletricidade - Indústria têxtil
e) Mecanização da agricultura - Transportes - Metalurgia

32 - (ACAFE – 1998) Acerca da Revolução Industrial, é FALSO afirmar:

a) Iniciou na Inglaterra no final do século XVIII, e no seguinte, espalhou-se por outros países de Europa continental, EUA e Japão
b) Não alterou as relações sociais da época já que a produção restringiu-se apenas aos pequenos centros urbanos que existiam.
c) Os avanços tecnológicos e a produção mecanizada foram decisivos para o processo de enriquecimento dos países industrializados.
d) Em flagrante contraste com a riqueza dos capitalistas, o operariado era submetido a jornadas de trabalho pesadas, salários aviltantes e condições insalubres de trabalho
e) Os trabalhadores eram severamente vigiados pelos capatazes, submetidos a um ritmo frenético de trabalho e não tinham direito à greve nem às garantias sociais.

33 - (ACAFE – 1999) Com a Revolução Industrial surgiu na Europa um conjunto de transformações sociais e econômicas. Sobre este período é FALSO afirmar:

a) Com o desenvolvimento industrial, as máquinas substituíram várias ferra mentas, bem como o trabalho de uma grande quantidade de pessoas.
b) Com a revolução aconteceu um grande crescimento urbano, com cidades como Londres, possuindo um grande número de habitantes.
c) Um dos grandes fatores do pioneirismo inglês recaiu no fato da Inglaterra ter sido a que mais acumulou capital durante a Idade Moderna.
d) A Revolução Industrial, apesar de trazer grande desenvolvimento econômico, não colaborou para a ascensão da Inglaterra no contexto mundial.
e) O primeiro ramo da indústria a utilizar máquinas foi o da fiação e tecelagem de algodão

34 - (ACAFE – 2000) Sobre a Revolução Industrial a alternativa FALSA é:

a) Dos sérios problemas sociais do proletariado originou-se o socialismo.
b) Crescente urbanização, ocorrendo uma série de problemas sociais ocasiona dos pelo êxodo rural, em alguns países.
c) Configuração de duas classes básicas na sociedade: a burguesia industrial dominante e o proletariado (trabalhadores assalariados).
d) Teve início o mercantilismo, responsável pelo imperialismo sobre a África, Ásia e América Latina.
e) Desenvolveu-se a produção em massa, como também uma grande divisão do trabalho.

35 - (UNIFOR – 2000) A "robotização do trabalhador" foi um dos aspectos gerados pela Revolução Industrial. O operário se especializou em servir uma máquina, transformando-se em autômato destinado a desempenhar atividades cotidianas cansativas e monótonas. Esse aspecto foi tema do filme

a) Tempos Modernos dirigido por Charles Chaplin.
b) Oliver Twist dirigido por David Lean.
c) A Missão dirigido por Rolan Joffé.
d) Os Miseráveis dirigido por Richard Boleslavky.
e) Giordano Bruno dirigido por Giuliano Montaldo.

36 - (UNIFOR – 2000) “A criação de um proletariado despossuído, (...) cultivadores vítimas de expropriações violentas repetidas, foi necessariamente mais rápida que sua absorção pela nascentes manufaturas. (...) Forma-se uma massa de mendigos, ladrões e vagabundos. Desde o final do século XV e durante todo o século XVI na Europa Ocidental foi criada uma legislação sanguinária contra o ócio. Os pais da atual classe operária foram castigados por terem sido reduzidos à situação de vagabundos e pobres. A legislação os tratava como criminosos voluntários; ela pressupunha que dependia de seu livre arbítrio continuar a trabalhar como antes.” MARX, Karl. O Capital. Paris, Garnier-Flamarion, 1969.

As transformações econômicas e sociais costumam gerar profundas alterações no chamado “mundo do trabalho”. A situação apontada por Marx refere-se ao processo histórico

a) das revoluções anti-capitalistas, ocorridas na Europa, contra as quais a burguesia determinou severa repressão.
b) das revoltas operárias, como o ludismo, voltadas à destruição das máquinas e à exploração por elas causada.
c) da Revolução Francesa, na qual os trabalhadores foram transformados em massa de manobra dos interesses burgueses.
d) de cercamento dos campos, com o deslocamento de um grande contingente de despossuídos da sua área rural de origem.
e) da Revolução Industrial, quando os criminosos eram expulsos das fábricas e proibidos de trabalhar em outra ocupação, pela legislação vigente.



GABARITO:


1 – C              11 – B             21 – D                   31 – B
2 – C              12 – D             22 – E                   32 – B
3 – A              13 – D             23 – B                   33 – D
  – B               14 – C             24 – E                   34 – D
5 – C              15 – B             25 – B                   35 – A
6 – D              16 – A             26 – D                   36 – D
7 – A              17 – B             27 – C
8 – B              18 – A             28 – E
9 – C              19 – E             29 – A
10 – C            20 – A             30 – A 



FONTE: http://materias-neltonlandia.blogspot.com/2007/06/lista-de-exerccios-revoluo-industrial-1.html


    ( Mackenzie1_g1_geo) “Fabricante do guaraná Dolly leva ao CADE fitas contra a Coca-Cola”.
A Refrigerantes Dolly – fabricante do guaraná com mesmo nome – entregou, ao Ministério da Justiça,uma fita de vídeo com a gravação de um ex-executivo da engarrafadora da Coca-Cola no Brasil, em que confessaria um suposto esquema para desestruturar a empresa.
A declaração sustentava que 23 pessoas haviam sido internadas no Hospital das Clínicas de São Paulo, com falta de atividade renal e tumores no reto, após tomarem a guaraná Dolly.Folha de São Paulo – 03.09.03 – p. B3
A prática de concorrência capitalista desleal que fez com que a Refrigerantes Dolly entrasse na justiça contra a Coca-Cola é denominada:
a) dumping.
b) cartelização.
c) formação de trustes.
d) oligopolização.
e) vulnerabilização.

Resolução:
Dumping é a ação de pôr à venda produtos a um preço inferior ao do mercado, o que pode ser considerado um gesto desleal da concorrência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário